domingo, 31 de maio de 2009

Eu...



Sou humana, demasiadamente humana, dotada de algumas boas qualidades e um punhado de tantos outros defeitos. Indecisa, eu? Não tenho certeza, talvez sim, talvez não. (risos) Distraída, reconheço, volta e meia me disperso, posso está olhando fixamente para os olhos de alguém, porém, com o pensamento em outra dimensão, não escuto, apenas vejo. Falo baixo, dizem e eu acredito, que tenho voz de "dengo", resultado, talvez, do fato de ter sido criada pelos meus avós, com todas as concessões a que tinha direito. Sou sensível ao extremo, facilmente meus olhos lacrimejam assistindo a um filme ou vendo uma cena do cotidiano que me comova. Não guardo rancor, perdôo com facilidade, amo meus amigos e sou por eles muito amada. Adoro chuva moderada, que bate no telhado fazendo aquele barulhinho gostoso, o que remete à minha infância e me faz lembrar dos banhos e das brincadeiras nas enxurradas. Tenho pavor de tempestades, trovões e relâmpagos, tenho vontade de me esconder embaixo da cama. Por causa de uma rã em meu criado-mudo, numa noite chuvosa e sem energia elétrica, já dormi dentro do meu guarda-roupa. Tenho nojo de baratas, tento matá-las, mas dificilmente acerto-as. Não gosto de gatos e amo cachorros. Adoro reunião com os amigos, embora não o faça com frequência. Acho importante lembrar do aniversário das pessoas que eu gosto, assim como eles sempre lembram do meu. Sou uma observadora do comportamento humano, gostaria de ter estudado psicologia para entendê-lo melhor. Adoro saladas e hábitos saudáveis de alimentação. Já fui vegetariana, mas não resisti aos prazeres da carne. Sou saudosista, especialmente em relação à minha infância, melhor fase de minha vida. Gosto de cheiro de mato e terra molhada. Sou introspectiva e tímida, logo é comum me rotularem de "metida". Fico vermelha em situações embaraçosas e nunca sei o que dizer quando recebo elogios. Prefiro a noite ao dia, frio a calor, salgado a doce. Para mim, o olhar é auto-revelador, traduz, o que muitas vezes, as palavras não podem ou não conseguem expressar. Respiro literatura, sou absorvida pela palavra escrita, através dela alimento minha alma. Sou amante da cultura em geral...música, cinema, aguçam os sentidos e nos engrandecem. Não acredito em coinscidências, tudo tem um propósito. O sofrimento humano me deprime. Não entendo as guerras e tenho ojeriza a atos de violência. Sou flamenguista, embora não tenha paciência para assistir aos jogos, com exceção das partidas da Copa do Mundo. Não sei simular emoções e meu sorriso é verdadeiro. Adoro crianças, perto delas me reconheço. Detesto arrogância, prepotência e gente simulada. E frequentemente me canso, como agora... Se o que leu, te agradou de alguma forma, te convido a me conhecer melhor, nesse espaço de troca de idéias e pensamentos soltos!

Abraço!


Mayre

2 comentários:

  1. Nossa!!!!!!!!!É Lispector mesmo, tem outro sobrenome não, amei o texto!!! vou te segui amiga!!! bjs!!!!!!!!!

    ResponderExcluir
  2. Amiga ! Que maravilha de texto ! Demais principalmente como foi colocado as pessoas com dificuldade de se burilar se transforma. Valeu mesmo .bjossssssss

    ResponderExcluir