domingo, 7 de junho de 2009

Pessoas piruás


Segundo Rubem Alves, há pessoas que podem ser comparadas com o milho de pipoca, dessa forma há duas categorias de pessoas: as que se parecem com o milho estourado, transformado na flor branca deliciosamente comestível e outras semelhantes àqueles grãos de milho que ficam no fundo da panela, duros, resistentes à alta temperatura do fogo e que não estouram de jeito nenhum.

Os milhos estourados "são adultos que voltaram a ser crianças e que sabem que a vida é uma grande brincadeira...", porém aqueles que não vingaram, ou seja, que não se transformaram em pipocas, são denominadas de "piruás". "Piruás são aquelas pessoas que, por mais que o fogo esquente, se recusam a mudar. Elas acham que não pode existir coisa mais maravilhosa do que o jeito delas serem."

Para a minha (in)felicidade convivo com uma pessoa extremamente "piruá". Uma pessoa simulada, mal amada, traiçoeira, invejosa, com características bipolares e que, com sua simples presença consegue "poluir" o ambiente com toda sua carga de energia negativa! A princípio, quando incomodados por uma pessoa assim temos vontade que esta seja atingida por um raio certeiro ou que uma cobra tão venenosa quanto ela dê-lhe uma picada, sem que haja soro antiofídico por perto.

Mas depois de passado o ataque de cólera, que respiramos até três, descobrimos que pessoas desse tipo são indispensáveis em nossas vidas! Explico. Graças a elas temos a rica oportunidade de sermos seres humanos bem melhores do que ora somos. Através do seu convívio, somos convidados a exercitar a paciência ao extremo, a aceitar a disparidade e a buscar em nós mesmos qualquer vestígio de comportamento semelhante, a fim de extingui-lo definitivamente.

Claro que é bem mais agradável e cômodo convivermos com pessoas de áurea limpa, transparente, iluminadas, sorridentes, verdadeiras...Estas também nos fazem melhores, mais felizes, no entanto, o diferente e indesejável é o que nos instiga a lapidar a alma constantemente.
Portanto, que venham os "piruás"!!!!

Nenhum comentário:

Postar um comentário