segunda-feira, 1 de março de 2010

Labirinto


Tantas vezes me perdi

Tentando me encontrar

No labirinto obscuro de meus sentimentos

Tão herméticos.

Aqui e ali fui feliz, achando

Ter encontrado a saída...

Quando, na verdade, estava cada vez mais perdida.

Nesse ir e vir, finalmente compreendi:

A saída está aqui mesmo dentro de mim

Não lá fora, onde deixo de existir!

A mesma redoma que me aprisiona,

Me sufoca, me limita, me coage...

Contraditoriamente, me liberta, mas me impede de fugir.

Fico! Aprendendo, cotidianamente, a me autodesvendar...

E de todos os enigmas, esse talvez seja

O mais difícil de decifrar!

Eu x Eus!

2 comentários:

  1. Eis que de repente, uma explosão de poemas espetaculares, uma explosão de produção...
    Poema fascinante este! Fico impressionado com sua capacidade de articular ideias, de articular impecavelmente as palavras.

    Parabéns!

    ResponderExcluir
  2. Sem sombra de dúvidas entre todos que li esse é o melhor. Parabéns !

    ResponderExcluir