terça-feira, 27 de abril de 2010

Vencida por elas


Há dias estou em abstinência involuntária, sem escrever nada, ausência de léxico. Vários sentimentos dispersos e indomáveis... Recorri a leituras, muitas leituras!! Comprei logo treze livros e estes têm sido meus companheiros diários, estou tentando quebrar o meu próprio recorde em tempo de leitura. Devorei Dona Flor e seus dois maridos, País do Carnaval (ambos de Jorge Amado), Dois amigos e um chato (Stanislaw Ponte Preta), A estrutura da bolha de sabão (Lygia Fagundes Teles), Que páis é este? (Millôr Fernandes)...

Quando finalmente me senti capaz de por ordem no caos estabelecido pelas minhas ideias insanas,a postos de papel e lápis (nunca escrevo diretamente no PC, coisas de gente das antigas), eis que sou subitamente incomodada por um zumbido insistente e extremamente irritante a me azucrinar,mesmo depois de várias tentativas (inúteis) de autodefesa, através de lançamentos de "almofadadas" e tapas no ar... Ela não me deixava em paz! Estava instaurada uma guerra doméstica com armas pouco ou nada eficazes.

Depois de algum tempo de desgaste físico e psicológico, entreguei os pontos!Fora mesmo vencida por ELA, a mosca!

Saí em retirada para o meu quarto onde, finalmente, consegui me livrar daquela criaturazinha minúscula, porém dotada de uma tática infalível contra a minha paz auditiva.

Finalizado o combate e, reconhecendo a minha vergonhosa derrota, constatei como nós, criaturas humanas somos vulneráveis ao nos deparar com outros seres, aparentemente inofensivos (Nesse exato momento ELA reaparece, agora acompanhada, são duas a testar a minha paciência...Tentei ignorá-las, já que não dispunha de nenhum veneno em spray, capaz de exterminá-las instantaneamente).

Retomando o raciocínio bruscamente interrompido por ELAS: somos mesmo indefesos, quando desprovidos de todo um aparato criado para garantir a nossa sobrevivência. Uma mosquinha de nada (de nada?), uma barata, uma rãzinhaa (Só Freud para erradicar o meu medo), bichinhos insignificantes perto da nossa estatura física e,no entanto, provocam o nosso desequilíbrio,desencadeiam o nosso pânico!
Somos mais presunçosos do que corajosos, bem MENOS do MAIS que propagamos!

Obs.: E mais uma vez, fracasso na tentativa de escrever algo que valha a pena ser lido. Culpa delas!

3 comentários:

  1. Oi flor, tem selinho para você no meu blog....
    Beijinhos
    http://leituraspontocom.blogspot.com/2010/05/selinho.html

    ResponderExcluir
  2. Mais um selinhoooo
    Beijosss
    http://leituraspontocom.blogspot.com/2010/05/outro-selinho-lindo-este-tambem-ganhei.html

    ResponderExcluir
  3. Olaaa vc escreve muito bem deveria divulgar mais seu blog vc é super criativa parabéns adoreiii ... bjus

    ResponderExcluir