sexta-feira, 18 de junho de 2010

Greice Ive e Ana Cañas


Ingenuamente, grande parte do público que ouve seus cantores prediletos nas rádios ou na TV acreditam que estes se tornaram ícones da música, seja lá de qual gênero for, devido à sua popularidade. Acontece exatamente o inverso: a popularidade é fabricada cada vez que eles se apresentam em programas de auditório nas grandes emissoras, especialmente da Rede Globo.

A grande eclosão do sertanejo Luan Santana,por exemplo, aconteceu depois que o mesmo estreou no programa Domingão do Bestão, digo, do Faustão (onde recebeu o troféu revelação musical no Melhores do Ano), passando a festejar a crescente vendagem de 100 mil CDs, apesar da concorrência com o mercado da pirataria.

Luan, antes pobre e desconhecido do grande público, agora vive com sua agenda lotada e se locomove de jatinho para realizar os shows, não mais de ônibus como o fazia antes do sucesso meteórico.

O mesmo aconteceu com a Maria Gadú. Não subestimando o seu talento inegável, ela que também faz parte do rol de artistas da Som Livre, gravadora associada da Rede Globo, fora também uma das que foram favorecidas pela poderosa estratégia de marketing da referida gravadora, criada exatamante para divulgar as trilhas sonoras da emissora.

Assim, quando a canção "Shimbalaiê" apareceu como tema da personagem Dora, na novela "Viver a Vida", Maria Gadú recebeu o "empurrãozinho" que faltava para sua carreira ascender e ela marcar o seu nome como a mais nova estrela da MPB.

Enquanto isso, outros artistas talentosíssimos permanecem no anonimato, esperando o dia de serem finalmente agraciados com uma divulgação à altura do talento que possuem.

É o caso de duas cantoras fantásticas que acabo de descobrir através da internet (mãe dos AADP- Associação dos Artistas Desconhecidos do Povão) e que me deixaram simplesmente encantada, inebriada diante daquelas vozes tão serenas e ao mesmo tempo tão imponentes, dotadas de timbres tão originais. Aliás, as vozes veem acompanhadas de um conjunto de atributos que seduzem à primeira vista: a linguagem corporal, a interpretação, as letras das canções, a criatividade na produção dos clipes, enfim... Tudo perfeito!

Estou falando de Greice Ive e Ana Cañas! A meu ver, futuras expoentes da MPB! Que a sorte lhes dê uma "mãozinha", assim como fez com a Maria Gadú. E torço mesmo que consigam, pois o grande público carece de uma válvula de escape contra essa indústria fonográfica massificante que nos empurra sub-sub-sub produções musicais goela abaixo: axés, sertanejos e afins (com todo respeito ao gosto duvidoso dos apreciadores dos gêneros).

Respiro aliviada depois de conhecer artistas assim, pois isso prova que a boa música ainda brota por aqui, nessa terra fertilizada por "canções" ultrajantes, que instigam movimentos corporais libidinosos. Nossos ouvidos e alma ainda podem ser presenteados com verdadeiras canções, tão belas e inspiradoras.

Vejam os videos e me digam o que acharam!









9 comentários:

  1. Acho que a internet tem ajudado muitos deles a alcancarem uma visibilidade e dando a chance de serem 'descobertos'.
    E os videos sao maravilhosos.
    beijao.

    ResponderExcluir
  2. Nossa que legal! Greice Ive canta muito bem, parece até playback, mas com minha experiência em música percebo que é talento mesmo! E o clipe da Ana Cañas é excelente!!! Vou reservar um tempo para procurar mais músicas delas. Obrigado por esta ótima indicação! Abraços Mayre!


    Laerte Lopes
    www.laerte-lopes.blogspot.com

    ResponderExcluir
  3. A arte no Brasil é conceituada através de todo um ``trabalho``, que como você disse,cria meios de massificar um produto que raramente é de qualidade, mas é propagado intensamente.Quem lucra com isso? As grande empresas, lógico. Já o povão perde de cultura, criticidade e racionalização, cantando uma música tão pobre em sua letra ( para não dizer palavra mais bruta)e criando idolatrações pscicóticas de amores por tais ``artistas``. O fenômeno Luan Santana é um ótimo exemplo para sisntetizar tudo o que você disse. Com letras pobres, óbvias...Fora os gêneros que avassalam o Brasil: sertanejo, axé, pagode, pop- que é uma cópia dos ídolos ten dos EUA...


    Adorei seu texto, concordo plenamente. Parabéns!!!

    ResponderExcluir
  4. Oi, tem selinho pr ti lá no blog, bj

    http://danfalandodelivros.blogspot.com/2010/06/amo-esses-selinhos-ganhei-mais.html

    ResponderExcluir
  5. Adorei a proposta do seu blog, certamente voltarei aqui mais vezes.
    Parabéns.
    Beijão

    ResponderExcluir
  6. Adorei o texto. Greice Ive eu ainda não conhecia.
    Sou muito fã da Ana, a voz dela é linda, e as canções... Nossa, não preciso nem comentar.
    Parabéns Rosy, um beijão.

    ResponderExcluir
  7. Bom peloo menos o Nando Reis ja deu uma ajuda a ana cañas ao chamar ela pra cantar com ele Pra vc guardei o amor, q ficou maravilhosa com os dois, é torcer pras duas darem certo tbm, afinal são maravilhosas né.
    Bjo Do L35747.
    P.S: queria teu talento pra escrever sobre coisas do cotidiano, assim como no otimo post sobre o racismo, pois igual Gabriel, o Pensador ja disse "Racismo é burrice, ta na hora de fazer uma lavagem cerebral, pois branco no Brasil é dificil, no Brasil somos todos mestiços".

    ResponderExcluir
  8. Greice Ive é espetacular!!! sua voz é maravilhosa!
    www.quecoisaboa.blog.com

    ResponderExcluir